O que preciso saber antes de embarcar para o Chile?

O que preciso saber antes de embarcar para o Chile?

  • Por Rodrigo Andrade
    .
  • Turistando Chile, agência de viagens especializada no destino, dá dicas para a sua primeira viagem ao país

Planejar uma viagem nunca é fácil. Principalmente se o destino pretendido for um lugar inédito e cheio de peculiaridades. Estudar bem o local, aliás, é imprescindível. E caso você vá ou esteja pensando em ir ao Chile nas suas próximas férias, a Turistando Chile, agência brasileira de receptivo turístico expert em passeios no país andino, preparou uma lista com 10 dicas para facilitar a sua trip. Confira:

 

  1. Planejamento

Pode não parecer, mas o Chile é enorme! Ok, não tanto quanto o Brasil, mas viajar até o destino sem saber ao certo o que visitar não é uma boa ideia. Por isso, antes de ir, converse com algum especialista – a Turistando Chile pode te ajudar ;) - ou faça uma pesquisa muito detalhada na internet sobre os seus pontos de interesse. O país conta com muitos atrativos e, dependendo da época do ano, tudo pode mudar. Fauna, flora, relevo, condições climáticas... são muitas variáveis. Portanto, foco e planejamento, certo?

  1. Quando ir?

Depende do que você quer curtir no Chile. Se a resposta for neve e estações de esqui, o período ideal para a sua viagem é entre junho e agosto. Mas muito cuidado! Por se tratar de um fenômeno meteorológico, é muito comum que a neve atrase ou adiante um pouquinho. Caso você queira curtir o Chile sob uma nova perspectiva que não o frio, o Verão e a Primavera são boas sugestões. Época boa para visitar vinícolas, parques e o litoral chileno, como Valparaiso, Viña del Mar e Isla Negra. O Outono, normalmente, é a estação menos badalada. Os termômetros variam entre 10 e 22º e, dependendo do clima, você pode até ver neve, mas não em grande escala.

O Verão vai de dezembro a março; Outono do fim de março ao fim de junho; o Inverno do fim de junho ao fim de setembro e a Primavera de setembro a dezembro.

  1. Idioma

O idioma é sempre uma grande preocupação na hora de viajar. Em muitas das vezes essa preocupação ocorre por não dominarmos o idioma local, o que pode causar algumas situações embaraçosas. Portanto é de bom tom ter alguma noção de espanhol, que é o idioma oficial do Chile. O inglês pode ajudar, mas também é possível recorrer ao bom e velho portunhol por aqui. Uma alternativa para os mais inseguros é contar com o auxilio de guias especializados. A Turistando Chile, inclusive, conta com guias e funcionários bilíngües. #semdesespero!

  1. Documentos

Muita atenção ao tópico, hein? A parte burocrática é muito importante e, caso ela não seja respeitada, a sua viagem pode virar uma baita dor de cabeça. Então, anote ai: Turistas brasileiros podem entrar no Chile somente com o RG (Carteira de Identidade) original, mas ele precisa ter menos de 10 anos de emissão e estar em bom estado de conservação, é claro. Passaporte com validade mínima de seis meses da data de saída do Brasil também pode ser usado como identificação. CNH e documentos de identificação profissional, emitidos por Conselhos de Classe ou órgão competente, como CRM, OAB, CRC e etc. NÃO são aceitos, ok? Apenas RG ou Passaporte. Não é exigido visto.

Menores de 18 anos devem estar acompanhados por um adulto responsável. Se viajar com apenas um dos pais ou com o responsável legal, deverá ser apresentada autorização registrada em cartório, assinada por ambos os pais, outro responsável ou pelo Juizado de Menores.

  1. Voltagem

Tirou muitas fotos no passeio? Precisa carregar o celular? Vai ligar o notebook? Cuidado! É bom verificar a voltagem das tomadas do hotel. No Chile, se usa a voltagem padrão de 220V, porém alguns hotéis contam com transformadores nos quartos. Se preferir, adquira um por aqui mesmo e ponha na mala. Melhor prevenir do que remediar. Adaptadores de tomada também podem ser muito úteis, uma vez que o formato padrão é com os 3 pinos alinhados horizontalmente.

 

  1. Fuso horário

Outro ponto que merece atenção é o fuso horário. Bateu aquela vontade de contar as novidades da viagem para a família no Brasil? Fique atento. 22h em Santiago é 21h00 no Brasil. Essa diferença de 1 hora ainda pode aumentar em alguns estados brasileiros durante o Horário de Verão brasileiro. Vale ressaltar que o Horário de Verão na parte continental do Chile, onde se adianta 1 hora, deixa o país andino com o mesmo horário do Brasil.

  1. Moeda

A moeda corrente no Chile é o Peso Chileno, e como qualquer outra moeda, sua cotação varia constantemente. Para saber valores atualizados, consulte o site do Cambios Santigo. Mas muito cuidado! Evite cambistas no meio da rua. Mesmo que a cotação seja melhor, você pode cair em um golpe. Se puder, leve alguns dólares para efetuar a troca. Às vezes é mais vantajoso fazer a conversão do dólar para o Peso Chileno. Para alguma eventualidade, leve um Cartão de Crédito Internacional e, se possível, tenha sempre dinheiro em mãos. 

 

  1. Os males da altitude

Para quem não sabe – ou não se atentou ao fato, boa parte do Chile está localizada nas encostas da Cordilheira dos Andes, a segunda maior cadeia de montanhas do mundo depois do Himalaia. Logo, é bem provável que, se você fizer algum passeio pelas montanhas, você sinta alguns sintomas do famoso mal da altitude ou “soroche”, para os mais íntimos. Os mais comuns são falta de ar, náuseas, vômito e dor de cabeça. E como algumas atrações turísticas do Chile ficam em planos ainda mais altos que a capital Santiago, a dica é: evite esforço físico no primeiro dia, faça refeições leves e durma bem. Nada de remédios para dormir, pois eles diminuem a sua frequência respiratória e isso pode ser um desastre. Álcool e cigarro também não ajudam muito nos primeiros dias. Caso suba até o Valle Nevado ou outras estações de esqui, folhas de coca podem ajudar.

  1. Evite passeios por conta própria

Desbravar um novo destino por conta própria é maravilhoso e, em alguns casos, pode render economias no fim da viagem, mas se esta for a sua primeira vez no Chile, esqueça essa ideia. Alguns locais, como as estações de esqui, por exemplo, necessitam de certa perícia para se chegar até lá em segurança. Dirigir na neve não é uma tarefa tão simples e algumas estradas são bem perigosas. Procure uma agência especializada e analise todas as opções com bastante cuidado. Às vezes o barato pode sair caro.

  1. Escolha um roteiro com o seu perfil

Vale ressaltar que existem diversas formas de se montar um roteiro para o Chile. Há quem prefira viagens mais curtas enquanto outros desejam conhecer os principais pontos turísticos do país. Não importa que tipo de turista você seja. A Turistando Chile oferece passeios, serviços e roteiros personalizados para o seu tipo de viagem. Veja o que podemos fazer pela sua viagem.

 

Para saber mais sobre os pacotes comercializados pela Turistando Chile, clique aqui ou entre em contato com um de nossos representantes pelo WhatsApp  +56 95839- 4606 ou pelo e-mail hola@turistandochile.com.br

 

NEWSLETTER

Inscreva-se e receba nossas novidades, promoções!