Manifestações no Chile

Manifestações no Chile

  • Por Juliano Dellefrate da Silva
    .
  • Entenda o que esta acontecendo no Chile

Muitos turistas ainda se sentem inseguros em viajar para a capital chilena devido a repercussão que a mídia dá para os acontecimentos. Sendo assim, a Turistando preparou um texto para te atualizar sobre as manifestações, tanto com a situação atual do Chile, como para te esclarecer o que causou toda essa indignação da população mediante ao governo atual.

O que está acontecendo no Chile?

O início dos protestos em Santiago se iniciou com muita violência. O descontentamento generalizado depois do aumento do preço do transporte público foi somado a insatisfação com o alto custo de vida, sistemas de saúde e educação caros, uma previdência que não garante um salário digno na velhice e outras coisas que fizeram o Chile despertar.

A cifra de vítimas nas primeiras semanas dos protestos chama a atenção. Foram 161 pessoas com traumas oculares, 8.168 presos e 23 mortos. A repressão por parte das autoridades chegou ao ponto de ser decretado toque de recolher, que perdurou por 8 dias, sendo suspenso no dia 26 de outubro. O estado de emergência em que o país entrou durou um dia a mais que o toque de recolher e no dia 27 do mesmo mês os militares saíram das ruas. Prédios públicos e muitas estações de metrô também foram completamente destruídos.

Dentre as consequências positivas das manifestações é que será realizado um plebiscito para a elaboração de uma nova constituição, uma vez que o texto constitucional consagra um "Estado subsidiário", que não oferece diretamente benefícios relacionados a saúde, educação ou previdência social, delegando isso ao setor privado, ou seja, parte da demanda dos manifestantes chilenos é que o Estado tenha uma maior participação e envolvimento no fornecimento de serviços básicos.

Como está a situação no Chile desde o dia 18 de outubro?

Desde então os protestos na capital chilena e no interior do país diminuíram consideravelmente. O principal ponto de concentração em Santiago segue sendo a Plaza Itália, mas o número de manifestantes não tem representado inconvenientes ao turismo e as demais atividades econômicas do país. Pelo centro da capital santiaguina, vários comércios adotaram medidas de segurança para evitar saques em seus estabelecimentos, como a instalação de tapumes e reforços com placas de aço. O horário de atendimento foi mudado, uma vez que os protestos se iniciavam as 17h de cada dia, porém hoje, já não há alteração nos horários e o comércio trabalha em horário normal. Os pontos turísticos espalhados pela região metropolitana também seguem funcionando normalmente, desde vinícolas a museus. As cidades de Valparaíso e Viña del Mar também já reestabeleceram a normalidade e a tendência é que se mantenha assim.

Algumas cidades cancelaram os eventos de natal e ano novo com queima de fogos com intuito de destinar verbas para recuperar a cidade dos grandes estragos. Medidas também estão sendo tomadas para a reestruturação do transporte público, principalmente o metrô da cidade. Algumas estações já estão com o funcionamento normalizado, mas aquelas que foram mais afetadas terão o funcionamento reestabelecido até o final de 2020.

O cenário do turismo no Chile

O turismo no Chile sempre foi um ponto muito importante na economia do país. Por ter esta proximidade com o Brasil, o Chile recebe muitos brasileiros em busca de naturezas exuberantes, atividades radicais e claro, a tão sonhada neve andina.

Com esses acontecimentos, o turismo na capital chilena caiu cerca de 90% para a época, medida que faz com que a reestruturação do país seja cada dia mais difícil de ser concluída. Pontos turísticos na capital como Palácio La Moneda, Cerros Santa Lucia e San Cristóbal, Plaza de Armas, museus e igrejas, apesar de apresentarem fachadas pichadas com frases manifestantes, estão funcionando normalmente para os tours e marcando a história do Chile. Os destinos em Santiago, passeios aos arredores como as montanhas, vinícolas, tours em Santiago no geral, estão sendo operados normalmente.

Estamos bem otimistas e estimando melhorias no país, tanto para sua reconstrução, como para sua economia e referência turística. Temos certeza que o Chile será marcado por este período de crise, porém, um período que vem com melhorias e história.

É importante ressaltar que durante a sua viagem aqui no Chile, todo cuidado é essencial. Procure ter assessoria durante sua estadia no país, ter passeios com guia em Santiago, guia em Valparaiso e Viña del Mar e em todos os pontos de interesse, afinal, nada melhor do que ter o auxílio de pessoas que estão vivendo a atual situação e podem te dar uma orientação de “onde ir” “como ir”. É claro que sempre é indicado, indiferente das manifestações, contratar os serviços e passeios no Chile com agências devidamente regularizadas e que possa te proporcionar segurança e, acima de tudo, qualidade de tour nesse momento na cidade.

Planejamento é a melhor das dicas para quem vai realizar qualquer viagem! Sendo assim, não se esqueça de que a Turistando está preparada para viver tudo junto com você, aqui no Chile e no mundo todo!  

Deixe as sensações das novas experiências aflorarem enquanto nós cuidamos da sua diversão, e segurança, pois sabemos que bom mesmo é viajar com o coração tranquilo.  

 

NEWSLETTER

Inscreva-se e receba nossas novidades, promoções!